segunda-feira, 22 de março de 2010

Como identifiquei o meu primeiro filho superdotado



Como toda mãe de primeira viagem, achava a minha filha absolutamente normal e inteligente. Aliado ao fato de sou uma mãe judia, considere tudo isto em dobro ! ..rs.



Debora nasceu muito grande e pesada, se comparada ao meu tamanho (sou pequena e magra), o que foi a primeira coisa que nela me chamou muito a atenção. Como bebê, ela teve um desenvolvimento absolutamente normal (tirando o fato de que sempre esteve acima de seu peso e tamanho). Mexeu, sentou e andou nas idades normais (o que em geral não acontece com os superdotados, que por vezes, se antecipam até nestas fases primárias). Debora começou a falar cedo (por volta de um ano de idade), mas nada que causasse espanto para quem com ela convivia. Ela se concentrava muito nos brinquedos de sua preferência, mas isto, para mim, também era absolutamente normal.


Logo que começou a falar (com um ano), seu vocabulário começou a se mostrar amplo, mas também, nada fora do normal. Como sou advogada e costumo falar corretamente, achei que isto a estivesse influenciando (como de fato estava).


Já com um ano e meio, ela sabia o nome de todas as cores, muitos numeros, nomes e decorava facilmente persongens de seus jogos. Nada de anormal.


Aos dois anos, ela mostrou interesse pelas letrinhas de um de seus livrinhos, então, eu comecei a introduzir o alfabeto para ela. Ela mostrou interesse e facilidade em aprender o alfabeto.


Com três anos, aprendeu a ler o seu nome, o dos pais, dos avós e de todos os amiguinhos de sua classe, o que eu também achava normal.





Com quatro anos, Debora já estava totalmente alfabetizada e escrevia, sem cometer erros de grafia. Foi aí, que a história começou a nos chamar a atenção.


Na época, a psicóloga da escola, nos chamou e nos disse que estava muito preocupada, pois a minha filha aparentava ter PULADO ETAPAS de seu aprendizado. Que ela se comportava como uma criança mais velha e achava que tudo o que ela sabia era fruto de nossos incessantes estímulos. O conselho dela, era que parássemos de estimulá-la, para que ela tivesse um desenvolvimento normal.


Ficamos assustados, e seguimos o conselho à risca. Todo e qualquer interesse dela por aprendizagem, alfabetização e números era, por nós, ignorado..rs. E não pensem que ela deixou de se desenvolver por conta disto ! O desenvolvimento dela continuou em ritmo acelerado (ela tem picos de desenvolvimento intelectual, como pude perceber depois...), mesmo sem a nossa ajuda !


Hoje em dia, eu sei que as crianças, ao começarem a alfabetização, cometem muito erros de ortografia, esperados até para a fase em que estão. Meus filhos, assim que se alfabetizaram (ambos com quatro anos já estavam alfabetizados), começaram a escrever sem erros de grafia.


No ano seguinte, quando ela começou o infantil 4, de sua escola (no ano em que faria 5), as coordenadoras da escola, me charamam a atenção para o fato de que ela estava muito avançada em relação aos seus pares e marcaram uma reunião, para conversarmos sobre isto.





Neste dia em que marcaram a reunião, eu fiquei pensando : "Porquê marcar uma reunião para conversar sobre as facilidades da minha filha ? " " Será que ela não está bem ?". A resposta da coordenadora, foi a de que : "Ela estava muito bem demais !!!".



Ouvido isto, entrei na internete e fiz um monte de pesquisas sobre as caracterísitcas da minha filha e todas, todas elas, sem exceção, enquadravam a minha filha como uma criança superdotada.



Levei um susto ! Não imaginava que a superdotação fosse uma questão tão simples (ao mesmo tempo em que hoje sei que também é muito complexa), tão presente em nosso cotidiano (1 a 5% de nossa população são considerados como superdotados ou talentosos) e tão próxima de nossa realidade !



Quando comentei com o meu marido de que possivelmente minha filha fosse superdotada, ele riu da minha cara. (primeira fase da negação..rs..).




Quando comentei que a escola poderia propor uma aceleração de série (pois eu li que era uma das alternativas e propostas pedagógicas para a educação do superdotado era a aceleração de série), ele, novamente, riu da minha cara (segunda fase da negação) e disse que eu estava louca...rs.. Que a filha dele NUNCA IRIA PULAR DE SÉRIE !!!



Pois, quando fomos à reunião, para falar sobre as habilidades da minha filha, tudo aquilo que eu já imaginava começou a se concretizar na nossa frente. As coordenadoras a consideravam muito além de seus pares, com muito potencial de aprendizagem, que, enquanto os pares estavam começando a aprender o alfabeto, ela já escrevia sem erros de grafia e que a sugestão seria acelerá-la, desde que ela fizesse uma avaliação com uma psico pedagoga, para avaliar o seu potencial cognitivo, comportamental e o seu estado emocional, frente à sua superdotação e uma possível aceleração.



E fui em busca desta avaliação. À esta altura, depois de muita reflexão e conversas com pessoas da área, meu marido já considerou a possibilidade dela ser acelerada de série.





A avaliação demorou dois meses e meio para ser concretizada e com o laudo super detalhado que a profissional nos apresentou, realizado através de várias sessões, com testes de QI, psicológicos, comportamentais e de execuçao, veio a confirmação daquilo que já sabíamos. Debora era portadora de altas habildiades, possuidora de um QI (testado através de vários testes) altíssimo e a indicação da profissional era que ela fosse acelerada de série.

55 comentários:

  1. Parecia que a solução fosse ocorrer facilmente, mas veja essa postagem:
    http://maedecriancassuperdotadas.blogspot.com/2010/03/epopeia-da-aceleracao-de-serie-da-minha.html

    Pelo que vemos nos relatos dos pais, as características vão aparecendo aos poucos e todos vão se acostumando e achando normal. Não que seja anormal, rs, mas se ignorarmos os fatos não faremos o melhor pelos nossos filhos. Temos muito que aprender para superar os tabus, que são muitos aliás!!!!

    ResponderExcluir
  2. Fernanda Quintanilha22 de junho de 2011 20:16

    Estou vivendo essa fase neste momento. Da descoberta oficial de que minha pequena é superdotada. Infelizmente, tivemos que passar por uma situação complicada, em uma renomada escola de São Paulo, que a repetiu de série no ano passado, quando viemos de Brasília, argumentando de que era a nova lei, em virtude dela fazer aniversário em agosto e não até 30 de junho.

    Depois de 1 ano, em que vivi angustiada de ver minha filha se desenvolvendo sozinha, cada dia mais, fora da escola, e ao se alfabetizar sozinha com 4 anos (ela escreve e lê como crianças de 7 anos), foi que no começo deste ano de 2011 a nova professora, atenta às altas habilidades da minha filha e ao comportamento diferenciado, bem como as amizades com as meninas de classes mais avaçadas que a dela, nos deu a atenção merecida.

    A sensação que tive durante todo esse tempo foi a de nadar contra a maré, de ter que tentar a todo momento, convencer, de alguma forma aquela escola, e a coordenadora de que minha filha estava no lugar errado. No entanto, como tinhamos vivido uma grande mudança eu havia decidico confiar naquela renomada escola, com tantos anos de tradição.

    Enfim, depois de ser chamada várias vezes na escola, pela nova professora, a coordenadora pedagógica chegou a "louvável" conclusão de que "sim, realmente, ela tem que voltar ao ano letivo que cursava antes (um ano à frente do que a fizeram repetir), e ainda assim iria precisar de acompanhamento pois precisaria de mais estímulos.

    Foi então que procuramos uma psicopedagoga, ansiosos e culpados por ter deixado isso acontecer, e por ter confiado na escola e não ter tomado uma atitude antes.

    Após 2 meses de consultas, testes, etc. veio o resultado que já esperávamos: minha filha é superdotada e terá, sim, que avançar, ou melhor, voltar a classe que já estava anteriormente. Podendo, inclusive, avançar ainda mais, o que não consideramos saudável.

    Sinceramente, fiquei muito impressionada com a falta de preparo e a falta de capacidade profissional de uma escola tão renomada em reconhecer uma criança com altas habilidades e, pior, fazê-la voltar 1 ano e depois ter que voltar atrás da decisão.

    Um ano na vida de uma criança é muito, muito, muito tempo! Ainda bem que minha pequena, além de ter altas habilidades, tem uma maturidade emocional avançada também e soube evoluir, crescer e tirar tudo isso de letra. Surpreendendo cada dia mais a todos.

    Agora, é bola pra frente. Vamos ter que voltar a morar em Brasília e já procuramos uma escola preparada para recebê-la e atuar em parceria comigo e meu marido para prover os desafios que minha pequena precisa.

    Hoje, prefiro encarar todo o ocorrido como tendo sido escolhida por Deus para que outros pais e crianças não passem mais por isso, pelo menos nessa escola, que a partir de agora, pretende internalizar esses conhecimentos.

    Abraços,
    Fernanda

    ResponderExcluir
  3. Fernanda. Ao mesmo tempo em que sua história é triste, eu a achei muito comovente. Fico feliz, que, no final das contas, ela teve um final "feliz".

    Eu me identifico em uma parte de seu relato, porque assim como vocês e a sua filha, a minha filha mais velha também abriu um caminho, na escola dela, para as futuras crianças superdotadas. Sabemos que, numa escola, existem várias crianças superdotadas. Não necessariamente acadêmicas, mas elas existem e estão, por aí, espalhadas, esperando, tão somente, serem reconhecidas e identificadas.

    Ao menos, você consegue extrair uma coisa boa, nesta sua trajetória difícil. Eu também penso como você. E fico feliz que fui eu quem passou por esta experiência, na escola dos meus filhos e não outra pessoa.


    Que bom que vc é de SP, assim você pode participar dos nossos próximos de Pais de Crianças Superdotadas que eu promove junto com a Dra. Cupertino. Acho que em Agosto, ou em Setembro, teremos mais um Encontro. Mandei seu e-mail prá mim, que eu te aviso. E ah.. participe da nossa comunidade, no Orkut "Pais de Superdotado". Adorei conhecer a sua história !

    ResponderExcluir
  4. meu filho tb é superdotado, mas a escola não o apoiou e solicitou para que o tirássemos de lá. Só quando eu disse o QI dele (após muita análise - acima de 150) eles pediram para que ele voltasse no futuro. Infelizmente ainda temos muitos "educadores" ignorantes no assunto.

    ResponderExcluir
  5. Olá, identifico-me consigo porque passei (estou a passar...) igualzinho com o meu filho mais novo, com a diferença de que simplesmente um dia, aos 3 anos e meio, descobrimos que ele lia como um adulto e escrevia textos de histórias sem qualquer erro. E mudava a caligrafia, para itálico, letras de imprensa, manuscrita. Ele foi o 3º filho e talvez de ver os irmãos sempre a estudar tenha querido imitar, não sei, ninguém o estimulou, foi sózinho mesmo. É certo que em casa é um mundo de livros, mas os irmãos vivem no mesmo e são mais interessados noutras coisas. A médica pediu logo uma quantidade de testes e ao fim de 1 ano veio o diagnóstico de um QI muito acima da média em todas as áreas, memória fotográfica, ele consegue ler um livro inteiro e reproduzir o texto tal e qual sem olhar mais, mesmo que tenha passado muito tempo. Quando entrou na escolaridade para o 1º ano já estava muito acima dos meninos do 4º ano... tem sido um dilema para nós e para as professoras encontrar a melhor forma de ele ser feliz. De acordo com os psicólogos, colocar uma criança de 5-6 anos logo com as de 9-10 pode ser muito problemático. Tentámos e foi... ele era gozado, porque era o "computador", "o sabe tudo", por isso o 1º ano foi o ano da decisão crucial: queremos que ele seja um "crânio" ou apenas uma criança feliz ?
    Optámos por mantê-lo sempre no mesmo ano dos meninos da sua idade, mas ele tem livre acesso dentro da escola para tudo o que quiser aprender. Vai a outros anos mais avançados dar aulas, apresentar trabalhos e tem trabalhos de casa muito mais exigentes. Ele tem agora 8 anos, é extremamente feliz e em cada dia vejo-o sempre com aquela sede de aprender e adora andar na escola. Os colegas admiram-no e recorrem a ele para dúvidas, ideias e tudo o mais. Ele até já diz que às vezes tem necessidade de estar sózinho. Ajuda-os nos trabalhos e em casa é onde nós tentamos dar-lhe todos os livros que ele pede, sendo que até dá explicações de biologia à irmã de 15 anos. É alarmante porque a nossa sociedade não está preparada para crianças assim, que chegam à escola e aprendem à velocidade da luz. Está tudo formatado pela mediania...a casa tem de ser o seu porto de abrigo, e sobretudo que eles não saltem etapas, porque são crianças e precisam brincar, sonhar... encontrar o equilíbrio é o segredo! Felicidades!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola, Margarida ! Adorei o seu relato ! Mas, pq vcds não o aceleraram so um ano, ao inves de mais de dois ? Uma decisao destas, de aceleracao de serie, não deve ser tao radical. Existem formas de ser feita, com cautela a aceleracao.

      O mais importante e o que eu mais gostei de ouvir da sua historia, eh que o seu filho eh feliz e, noto pelo seu relato,

      Excluir
    2. Noto pelo seu relato que ha estimulo familiar tb.

      Se quiser, venha participar do meu grupo, no facebook, chamado "Mae de Criancas Superdotada" , no qual fazem parte pais de criancas superdotadas, especialistas, superdotados e pessoas interessadas no tema, no qual discutimos as questoes ligadas a educacao destas criancas e caracteristicas dos superdotados.

      Caso não esteja encontrando o grupo, me chame no facebook e se identifique, para eu saber quem eh.

      Abracos !

      Claudia Hakim

      Excluir
  6. Olá, identifico-me consigo porque passei (estou a passar...) igualzinho com o meu filho mais novo, com a diferença de que simplesmente um dia, aos 3 anos e meio, descobrimos que ele lia como um adulto e escrevia textos de histórias sem qualquer erro. E mudava a caligrafia, para itálico, letras de imprensa, manuscrita. Ele foi o 3º filho e talvez de ver os irmãos sempre a estudar tenha querido imitar, não sei, ninguém o estimulou, foi sózinho mesmo. É certo que em casa é um mundo de livros, mas os irmãos vivem no mesmo e são mais interessados noutras coisas. A médica pediu logo uma quantidade de testes e ao fim de 1 ano veio o diagnóstico de um QI muito acima da média em todas as áreas, memória fotográfica, ele consegue ler um livro inteiro e reproduzir o texto tal e qual sem olhar mais, mesmo que tenha passado muito tempo. Quando entrou na escolaridade para o 1º ano já estava muito acima dos meninos do 4º ano... tem sido um dilema para nós e para as professoras encontrar a melhor forma de ele ser feliz. De acordo com os psicólogos, colocar uma criança de 5-6 anos logo com as de 9-10 pode ser muito problemático. Tentámos e foi... ele era gozado, porque era o "computador", "o sabe tudo", por isso o 1º ano foi o ano da decisão crucial: queremos que ele seja um "crânio" ou apenas uma criança feliz ?
    Optámos por mantê-lo sempre no mesmo ano dos meninos da sua idade, mas ele tem livre acesso dentro da escola para tudo o que quiser aprender. Vai a outros anos mais avançados dar aulas, apresentar trabalhos e tem trabalhos de casa muito mais exigentes. Ele tem agora 8 anos, é extremamente feliz e em cada dia vejo-o sempre com aquela sede de aprender e adora andar na escola. Os colegas admiram-no e recorrem a ele para dúvidas, ideias e tudo o mais. Ele até já diz que às vezes tem necessidade de estar sózinho. Ajuda-os nos trabalhos e em casa é onde nós tentamos dar-lhe todos os livros que ele pede, sendo que até dá explicações de biologia à irmã de 15 anos. É alarmante porque a nossa sociedade não está preparada para crianças assim, que chegam à escola e aprendem à velocidade da luz. Está tudo formatado pela mediania...a casa tem de ser o seu porto de abrigo, e sobretudo que eles não saltem etapas, porque são crianças e precisam brincar, sonhar... encontrar o equilíbrio é o segredo! Felicidades!

    ResponderExcluir
  7. oi Claudia como posso saber se minha filha é superdotada, todo mundo acha ela adiantada, na escolinha publica eu ja conversei com psicopedagogas mas me disseram que a escola publica deveria mas nao faz atendimento especializado, so pra quem tem problemas dificuldades em aprendizado. a pediatra ja chava desde bebe, eu como era primeira filha achava tudo normal, achava que todas eram assim mesmo, so depois comecei a perceber que sim ela era mais rapida que as outras... nuna quis que ela fosse adiantada de classe, pois ela so tem 6 anos e quer, gosta de brincar, mas preciso saber com que eu estou lidando para nao acabar negligenciando ela, qualquer ajuda eu agradeço. obrigada.

    ResponderExcluir
  8. Olá, Bb,

    Me diga de onde você é, que poderei lhe indicar algum profissional para fazer este tipo de avaliação. Deveria, sim, ser obrigação do Estado realizar este tipo de avaliação, mas, eles não têm profissionais gabaritados e especializados para tanto. O profissional que irá fazer este tipo de avaliação deverá ser um psicólogo, neuropsicólogo ou psicopedagogo com graduação em psicologia. Se a sua cidade possuir um NAAH´s, que é um Núcleo de Atividades para Altas Habilidades, eles também fazem a avaliação ali e a criança poderá frequentar este Núcleo, no contra turno do período escolar, aonde desenvolverá atividades junto a outras crianças com características de superdotação.


    Venha participar do grupo “Mãe de Crianças Superdotadas”, que eu tenho no facebook. Este grupo é destinado para os pais que procuram o melhor para o desenvolvimento do seu filho em todos os aspectos e também para os profissionais e pessoas quem possuem interesse, na área da superdotação
    https://www.facebook.com/groups/213399982041957/

    Abraços !

    ResponderExcluir
  9. Meu filho de um ano e tres meses, comprrende desde os 10 meses o q falamos, ordens, associaoes ele entende td! com um ano ja falava todas as palavras e agora com um ano e tres meses identifica as letras do alfabeto, números e quer ate escrever...

    ResponderExcluir
  10. Olá Claudia, tenho um filho de 1 ano e 9 meses, ele começou a falar com 9 meses e com 1 ano e 4 ele já sabia todo o alfabeto, hoje ele conta até 20 e reconhece os números até 10, já começou a juntar as vogais e lê algumas palavras, sua memória é excelente, conhece todos os parentes pelo nome e pessoas que nem são muito de sua convivência ele se lembra do nome.
    Estou muito preocupada, pois não sei o que fazer, já conversei com algumas pessoas, mas algumas me disseram que os testes só podem ser feitos após os 3 anos.
    Moro em Curitiba, se você souber algum lugar especializado aqui em que possa levá-lo me indique por favor, pois queremos ajudar o nosso filho para que ele possa crescer feliz.

    ResponderExcluir
  11. Como o seu filho é muito novinho, sugiro que, por enquanto vc só vá acompanhando a evolução dele. Se quiser, me escreva, que eu posso lhe indicar alguns profissionais para lhe orientar, em Curitiba.

    Acompanhe também o social e o emocional dele, que são tão importantes quanto o intelectual dele.

    Meu e-mail é : claudiahakim@uol.com.br


    Venha participar do meu grupo do Facebook , Mãe de Crianças Superdotadas :
    http://www.facebook.com/groups/213399982041957/

    Este grupo é destinado para os pais que procuram o melhor para o desenvolvimento do seu filho em todos os aspectos e também para os profissionais e pessoas quem possuem interesse, na área da superdotação.

    Todos serão bem vindos. Não é necessário que você tenha um filho comprovadamente superdotado.
    O grupo é privado e fechado, para que as pessoas tenham mais liberdade de expressão, para que não tenham medo de tirar suas dúvidas e sofrer consequências ruins por isso.

    Minha intenção, no grupo, é divulgar notícias, informações, tirar dúvidas jurídicas ou dar a minha opinião sobre a minha experiência, enquanto consultora jurídica e escritora do Blog maedecriancassuperdotadas.blogspot.com.
    Link do meu grupo no facebook :
    http://www.facebook.com/groups/213399982041957/

    Também continue a se informar a respeito (no meu blog, tem um artigo sobre os livros que eu indico para conhecer e lidar com estas crianças : http://maedecriancassuperdotadas.blogspot.com.br/2012/03/dicas-de-livros-para-saber-como-educar.html. O livro da Maria Lúcia Sabatella (Talento ou Superdotação – Problema ou Solução, é ótimo e super didático ! )


    Atenciosamente,

    Claudia Hakim

    ResponderExcluir
  12. Tenho um filho de 4 anos e meio com características semelhantes às da sua filha. Começou a falar precocemente, aprendeu a ler aos 3 anos e 5 meses. Hoje tem uma leitura excelente, escreve corretamente, memoriza com facilidade, usa internet com sabedoria, gosta de brincar com crianças mais velhas.
    Acredito que meu filho seja superdotado, mas ainda não passou por nenhum teste que comprove. Creio que futuramente será necessário uma aceleração de série na escola.
    Foi bom conhecer a sua história.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  13. Tenho um filho de 4 anos e meio com características semelhantes às da sua filha. Começou a falar precocemente, aprendeu a ler aos 3 anos e 5 meses. Hoje tem uma leitura excelente, escreve corretamente, memoriza com facilidade, usa internet com sabedoria, gosta de brincar com crianças mais velhas.
    Acredito que meu filho seja superdotado, mas ainda não passou por nenhum teste que comprove. Creio que futuramente será necessário uma aceleração de série na escola.
    Foi bom conhecer a sua história.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  14. oi boa noite estou mto preocupada tenho um casal de gêmeos q nasceram prematuros, mas minha preocupação é com o meu filho hj com 4 anos , qdo ele tinha recém completado 2 ele chegou e me falou o nome das cores e forma geometricas .
    hj ele esta frenquentando uma escola municipal só q ele não tem paciencia de ficar na sala de aula , chora mto só fica se é uma atividade q ele não mais seja ele prefere ficar nos livros fora da sala
    Estou com medo de estar prejudicando o desenvolvimento dele , só q eu ainda não tenho um diagnostico se ele é ou não superdotado estou tão sem rumo por favor me de uma luz
    Mto obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nádia, outras condições podem levar ao interesse precoce por letras e números que não somente a super dotação. Pelo fato do seu filho estar demonstrando uma dificuldade de socialização (na medida em que ele não quer ficar em sala de aula) e hipersensibilidade, sugiro que procure uma neuropsicologa para fazer uma avaliação neuropsicológica nele. Esta avaliação o irá apurar se ele tem altas habilidades ou outras condições que possam estar ocasionando estes comportamentos nele. Importante vc saber que hiperlexia, asperger e outras condições que não só a super dotação levam ao interesse precoce por letras números e cores e a identificação precoce destas condições ajudará mais no desenvolvimento da criança. O neuropsicológica saberá lhe orientar adequadamente e indicar eventuais terapias que possam auxiliar o seu filho, se necessário for, bem como a forma da escola conduzir a educação dele.

      Excluir
    2. mto obrigado vc me ajudou mto pois ja estava ficando mto desesperada vou sim procurar ajuda assim q tiver alguma posição dividirei aki com vc's bjos

      Excluir
  15. Olá Cláudia, meu nome é Lorena, sou aluna de psicologia e estou fazendo um trabalho sobre altas habilidades, achei a sua história um máximo,mas gostaria de saber um pouco mais para apresentar para os meus colegas de sala,teria como eu pegar o seu email para enviar algumas perguntas?Seria muito grata e realizada!Obrigado pela atenção, Lorena!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorena, no momento ando bem ocupada. Mas, se você checar o meu blog conhecerá bastante da minha história e ....venha participar do meu grupo no Facebook : Mãe de Crianças Superdotadas!

      Excluir
  16. Olá pessoal, mora em Brasília e estou um pouco perdida em relação a esse assunto, Minha filha começou a ler palavrinha soltas com 3 anos, agora ela com 4 ano lê livros pequenos sozinha e com compreensão, ela gosta muito de matemática também, adora montar quebra cabeça. Ano passado a escola encaminhou ela para altas habilidades, porém nunca ligaram para me informarem dia e horário. Gostaria de saber se diante das experiência de vcs é possível mesmo que ela tenha altas habilidades e onde eu consigo atendimento e especialistas que comprovem isto aqui em Brasília.grata!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viviane, me escreva , que te darei o contato de algumas psicólogas que são especialistas neste tipo de avaliação. E, venha participar do meu grupo no face, Mãe de Crianças Superdotadas e interagir com outros pais de crianças superdotadas!

      Excluir
    2. Desde já obrigada pela disposição, te enviei um recado no email .

      Excluir
  17. Olá, tenho um filho de 2 anos e 2 meses que mais ou menos com 1 ano e 8 meses começou a se interessar por letras e números vendo vídeos no meu celular. Atualmente, ele identifica todas as letras do alfabeto e diz palavras que começam com determinada letra. Conhece os números, conta até 24 em português e até 10 em inglês. Sabe até as formas, triângulo, quadrado, etc. Tem um interesse enorme por livros e ultimamente pouco interesse por seus brinquedos.Fico preocupada porque passa o dia pronunciando as letras, números, onde quer que vá e gosta mais de brincadeiras de escrever e pintar. Seu desenvolvimento tem sido normal, fala como uma criança da sua idade, andou por volta de 1 ano. Interage bem com outras crianças na escolinha e no local que moramos. Será que ainda é cedo para eu me preocupar com um possível diagnóstico de super inteligência? Sou do RJ, teria algum profissional para indicar que possa acompanhá-lo e fazer essa avaliação? Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Natália. Conheço sim. Me escreva que eu te indico : claudiahakim@uol.com.br. E a superdotação não é a única possibilidade a explicar estas habilidades e precocidade que ele vem apresentando: a síndrome de Asperger e a hiperlexia também devem ser investigadas neste caso.

      Excluir
  18. Olá, adorei seu blog. Meu filho tem 3 anos completos agora em maio. Ele sabe todas as letras, sabe ler os nomes das pessoas próximas, fala muito bem. Sabe muitas palavras em inglês. Lida bem com números. Mas não consigo fazê-lo se adaptar à escola e vejo que ele é muito diferente da sala. As atividades para idade dele são entediantes para ele. Por favor se você puder indicar alguém que possa me ajudar a compreender como posso guiá-lo nesta fase. Estou sem saber o que fazer, moro em Cuiabá mas minha família é de São Paulo. Então não tenho problema em ir para São Paulo a qualquer tempo. Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Karen,

      Me escreva que eu te indico os profissionais da minha equipe e Instituto aqui em SP. Considere,tb , a hipótese do seu filho ser avançado de série, caso ele tenha nascido a pois a data de corte em seu Estado, ou se, ele realmente for superdotado, acelerado de série.

      Excluir
  19. Preciso de ajuda! Moro em Salvador/BA e tenho um filho que acabou de fazer 3 anos (18 de junho). Ele sabe todas as letras do alfabeto, conta até 20 em português e 10 em inglês, sabe todas as cores nos 2 idiomas, escreve e lê o próprio nome e Lê o nome dos colegas de classe. Fala muito bem, com um vocabulário maior que os primos de 4 e 5 anos. Forma frases complexas e tem um raciocínio lógico impressionante. Monta quebra cabeças de 60 peças desde os 2 anos e gosta de jogos para crianças maiores de 5 anos. Ele é muito curioso e concentrado. Frequenta a escolinha no grupo 3 e está bem adaptado e adora os colegas. Será que devo procurar um especialista? Pelo que vi aqui, reconheci muitas coisas que você relatou, mas não sei se meu filho é só uma criança esperta...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Erica ! Seria bomelhor você avaliar seu filho para saber se ele tem superdotação e se poderá se beneficiar da aceleração de série para alunos superdotados. Mas, como seu filho é novos , são poucos os profissionais, ainda Bahia, que aplicam os testes necessários e confiáveis para apurar a sd nesta idadem venha participar do meu grupo do face , Mãe de Crianças Superdotadas! E se quiser indicação de especialista para avaliação na Bahia, me escreve : claudiahakim@uol.com.br. se puder leva-lo a outro estado para avaliar, como SP, RJ ou Curitiba, me avise.

      Excluir
  20. Oi gostaria de uma opinião, lendo sobre crianças super dotadas eu vi que sempre elas falam desde novinhas. Meu filho tem um ano e três meses, desde que nasceu dorme pouco, com quatro meses ele batia palminhas e entendia o que falava, assim ele é muito esperto hoje ele entende tudo que falamos pois ele faz associações a minha dúvida é que ele diz algumas palavras erradas e faz conversações que não entendemos eu queria saber se só crianças que falam corretamente e elaboram frases são superdotadas ou não.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Depende de como e quanto for esta demora e atraso na fala. Pode ser superdotado e demorar um pouco mais a falar. Falar com dois anos em meninos ou o atraso na fala aliados à características de precocidade como boa memória e interesses precoces por letras e números podem também ser características de transtorno só espectro do autismo ou de algum distúrbio específico de linguagem. Mas, a superdotação também pode co-existir com esta condições ou estas condições podem parecer ser Superdotação e não ser. Se houverem outras características prejudiciais ao desenvolvimento da criança, além do atraso na fala, sugiro que a criança seja acompanhada por um neuropediatra e fonoaudiologa. Em geral, crianças superdotadas costumam falar cedo. Meninos demoram um pouco mais a falar de que as meninas. Uma criança que só começa a falar depois dos dois anos deve ser observada pelo neuropediatra para averiguação de eventual transtorno do espectro do autismo ou distúrbio específico da linguagem.

      Excluir

    2. Depende de como e quanto for esta demora e atraso na fala. Pode ser superdotado e demorar um pouco mais a falar. Falar com dois anos em meninos ou o atraso na fala aliados à características de precocidade como boa memória e interesses precoces por letras e números podem também ser características de transtorno só espectro do autismo ou de algum distúrbio específico de linguagem. Mas, a superdotação também pode co-existir com esta condições ou estas condições podem parecer ser Superdotação e não ser. Se houverem outras características prejudiciais ao desenvolvimento da criança, além do atraso na fala, sugiro que a criança seja acompanhada por um neuropediatra e fonoaudiologa. Em geral, crianças superdotadas costumam falar cedo. Meninos demoram um pouco mais a falar de que as meninas. Uma criança que só começa a falar depois dos dois anos deve ser observada pelo neuropediatra para averiguação de eventual transtorno do espectro do autismo ou distúrbio específico da linguagem.

      Excluir
  21. Gostaria de saber se pra uma criança ser superdotada ela aprende a falar muito cedo ou isso não se aplica a todos os superdotados, ou seja uma criança que demora elaborar frases e dizer muitas palavras pode ser também um superdotado?

    ResponderExcluir
  22. Gabi Reis,

    Depende de como é quanto for esta demora. Porque atraso na aquisição da linguagem com características de Superdotação, tais como interesse precoce por letras e números podem também ser características de transtorno só espectro do autismo ou de algum distúrbio específico de linguagem. Mas, a superdotação também pode co-existir existir com esta condições ou estas condições podem parecer ser Superdotação e não ser. Se houverem outras características prejudiciais ao desenvolvimento da criança, além do atraso na fala, sugiro que a criança seja acompanhada por um neuropediatra e fonoaudiologa.

    ResponderExcluir
  23. Bom dia,
    Primeiramente gostaria de parabenizar todos pela iniciativa, fiquei um pouco chateado por ser "maedecriancassuperdotadas" por que o interesse também acontece nos pais, assim como é meu caso. Vamos lá, eu ouvi muitas histórias e fiquei um pouco preocupado por que não estamos nos atentando ao fato de que cada vez mais o ensino nas cidades da federação está piorando, o modelo atual de ensino é defasado, e parece cada vez mais que as gerações estão vindo com menos vontade de aprender, menos vontade de serem algo realmente interessante, talvez pela criação atual de alguns pais. Eu tenho uma filha que acabou de fazer 3 anos, com dois anos ela já reconhecia letras e numeros, hoje ela fala diversas palavras e numeros em inglês e português, sabe todas as formas, e tenho certeza que ela não é dotada de nenhuma extraordinariedade,o que ocorreu foi um processo natural de incentivos em casa ao aprendizado, ela sempre desde que nasceu usa o iPad para circular letras e numeros e símbolos, conta até 100, hoje com três anos, escreve o proprio nome, o da mãe, o meu, da vovó com sobre nome (ela chama minha mãe de vovó estevam, e a outra avó de vovó marli), e sabe distinguir meu sarcasmo, as vezes eu pergunto pra ela um numero que esta em minha roupa, por exemplo numero 21 e antes dela responder eu falo vinte e blau, ela começa a rir e fala" Voce errou papai é vinte e um". Então não a acho acima da média, minha mãe é educadora a mais de 40 anos, foi minha professora de matemática, e hoje sou analista de sistemas e estou graduando em engenharia civil. Para terminar acho que a cultura de ensinar logo cedo que ler e estudar é importante, torna tudo mais fácil, ela esta vendo eu sair para minha segunda graduação, eu falo, "papai vai estudar meu amor, já volto." Agora voltando ao comportamento de minha filha, de fato algumas coisas me chamam atenção, ela é muito interessada em tudo, sempre presta atenção em tudo, somente olhando ela aprendeu a instalar as coisas no iPad, sabe onde tem que ir, digita o que quer e instala, esses dias eu cheguei tinha mais de quarenta aplicativos de panda no iPad, então tive que bloquear as instalações, no carro, ela já sabe onde coloca para andar a marcha ( carro automatico), ela sabe onde coloca a chave e liga, tudo por interesse, mas volto a dizer, ela não esta acima da média, de uma forma geral a população está menos culta e menos capazes de difundir conhecimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ANB,Não fique chateado. O nome do meu blog é por causa da minha experiência como mãe de 2 crianças superdotadas. Por isso o nome. E não porque ele é dirigido somente para as mães. Nada disso !!!

      Convido-te a participar do meu grupo de Facebook: Mãe de Crianças Superdotadas :https://www.facebook.com/groups/213399982041957/?ref=bookmarks

      Excluir
    2. ANB,Não fique chateado. O nome do meu blog é por causa da minha experiência como mãe de 2 crianças superdotadas. Por isso o nome. E não porque ele é dirigido somente para as mães. Nada disso !!!

      Convido-te a participar do meu grupo de Facebook: Mãe de Crianças Superdotadas :https://www.facebook.com/groups/213399982041957/?ref=bookmarks

      Excluir
  24. Claudia
    boa noite vc indica algum profissional ou entidade que faça avaliação. Meu filho tem 11 anos e já passou por diversas situações difíceis na escola regular, fui alertada recentemente pela professora de inglês da possibilidade de altas habilidades.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De qual cidade e Estado você é ?

      Excluir
    2. Olá boa tarde! Sou Nisangela e moro no interior do Ceará , numa cidade chamada Jaguaruana. Tenho dois filhos,de 9 uma menina e 1 menino de 3 anos. Tenho notado neles características idênticas como de uma criança supetdotada. Gostaria de ajuda sua. A quem devo procurar? Meu email é esse. nizangelaferreir@gmail.com. Desde já agradeço pela atenção.

      Excluir
    3. Você deve procurar um neuropsicólogo, que é um psicólogo com especialização em neuropsicologia e fazer uma avaliação neuropsicológica em seus filhos.

      Venha participar do meu grupo no Facebook, chamado "Mãe de Crianças Superdotadas "!

      Excluir
  25. Oi Claudia

    Meu nome é Natalia, tenho 21 anos e uma filha de 1 e 8 meses.
    Há uns 3 meses vi uma reportagem a respeito de superdotação e identifiquei algumas características na minha pequena.
    Nunca tinha ouvido falar sobre o assunto.
    Com 5 anos eu lia e escrevia com letra de mão, adorava inglês e sempre tive muita facilidade com números, mas nunca passou pela cabeça de ninguém de casa que existisse crianças super dotadas.
    Hoje, com todas as ferramentas de busca que temos, fica muito mais fácil conhecer mais sobre o assunto.

    Agora falando da minha filha...
    Ela sentou com 4 meses, engatinhou com 6 e com 7 já ficava em pé. Começou a falar "papa", "mama", "bobó" antes de completar um ano. Andou dias depois de completar 1 ano!
    Depois que começou a falar, mostrou muita facilidade para aprender palavras novas, e desenvolveu o vocabulário muito rápido. Com 1 ano e 6 meses já falava frases compostas de, pelo menos, 5 palavras.
    Ela tem um vocabulário muito rico, repete tudo o que falamos, ela conta até 12, canta as musicas que escuta, adora livros, sabe colocar o sapato sozinha.
    Algumas vezes ela nos dá respostas muito inusitadas!!!
    Ela pula, corre, monta aqueles blocos (Lego) sozinha, tem uma memória extraordinária.
    Alem disso, pronuncia algumas palavras em inglês e também canta partes de musicas em inglês.
    O problema é que ela não se concentrava em absolutamente nada. Agora que está um pouco maior consegue assistir aos desenhos, mas nunca mais que 30 minutos.

    Posso levar isso como "alerta" para uma possível supordptaçao ou não devo me preocupar?
    Existe algo que eu possa fazer por ela nessa idade?


    Te agradeço por dividir conosco a sua experiência. Tenho certeza que já ajudou muuuuitas mães preocupadas.

    Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Natália,

      As características que você nos relatou podem ocorrer tanto na superdotação, quanto na Síndrome de ASPERGER. Nesta última, as crianças costumam ser bem agitadas, apresentam muita birra,quando frustradas e podem não demonstrar interesse por algo que não lhes interesse, mas demonstrar um interesse enorme por assuntos específicos e restritos, que começam com interesse por letras, números, formas geométricas, animais, etc. Por isso, se o comportamento dela estiver prejudicando o desenvolvimento dela, é bom consultar um psiquiatra infantil ou neuropediatra. Se o desenvolvimento e comportamento dela for normal, com birras normais das crianças, mas nada anormal, você pode procurar uma avaliação neuropsicológica após os 05 anos. Venha participar do meu grupo do Facebook, Mãe de Crianças Superdotadas!

      Excluir
  26. Oi Cláudia..Boa tarde...Eu comecei a procurar sobre o assunto hoje. Um amigo do trabalho me chamou a atenção hoje, quando por mim contava mais uma dentre várias pérolas que conto sobre minha filha, interviu me perguntando se eu achava mesmo normal o que estava falando...Sempre tive a iniciativa de negar alguns "alertas" dos parentes dizendo que minha filha é mais inteligente que outras crianças. Isso me incomoda muito. Não quero que minha filha se sinta superior às outras pessoas...Ensino sempre minha filha respeitar e ajudar as pessoas e que somos iguais, semelhantes ao nosso Criador...Voltando...Fiquei preocupada quando esse amigo falou que posso estar prejudicando o emocional da minha filha. E aí comecei a pesquisar e lembrar de alguns fatos durante a infância...Sentou normal, andou normal como seus filhos...Mas no início do 7º mês de nascida. Minha filha me deu "bom dia" quando cheguei ao quarto..Quase ninguém sabe disso..Não costumo ficar falando essas coisas...E continuou a falar normalmente naquele dia...Falando "oi" e "tudo bem"? Com pessoas na rua e tudo...Achei normal. Qd fez 1 ano e 1 mês disse que não queria mais "mamà" e "pepeta não". Não mamou mais e me entregou a chupeta. Hoje está com 5 anos..Fala bem e está na alfabetização...Tem uma sede muito grande de conhecer...Faz perguntas que não sei responder...Tenho que procurar no google toda hora...Agora ela mesma procura...Me pediu para entrar no Inglês, começou semana passada...Me pediu para fazer aula de violino, um livro sobre as bandeiras dos países e tem uma maturidade impressionante..Dá conselhos sérios aos mais velhos..Desculpe...Nem sei mais se isso é normal...Estou confusa..Na verdade até com vergonha de estar parecendo vaidosa para vc...Vc acha que eu preciso procurar uma ajuda? Ou é puro exagero das pessoas??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você só deve procurar ajuda se precisar de adequação escolar para a sua filha, para motivá-la ou desafiá-la em sala de aula. Se você sentir que ela não está motivada. Se ela estiver entediada. Caso não seja este o caso, talvez não há necessidade de você procurar ajuda. Porém, se isto está lhe fazendo sofrer, e você quiser investir nisso (porque avaliações custam caro), posso lhe indicar algum profissional para avaliar a sua filha . Neste caso, me escreva, me dizendo de onde você é : claudiahakim@uol.com.br. Venha participar do meu grupo do facebook, chamado "Mãe de Crianças Superdotadas". Ali você poderá acompanhar o relato de outros pais e dividir suas angústias e dúvidas. O grupo é fechado e privado. Nenhum de seus amigos do facebook saberá o que está sendo escrito ali.

      Excluir
  27. Boa Noite Cláudia.Tudo bem com vc? Ultimamente tenho procurado aprender sobre crianças SD. Minha filha chama-se Pietra e descobri que ela é uma SD assim meio que por acaso, sempre considerei ela muito espera e inteligente, até aí tudo ok.Ela fez 3 anos agora dia 06-02-17. Minha filha adiantou muito em diversas situações, dentes com 2 meses ela já sentia os incômodos e aos 4meses surgiram os primeiros 2 dentes, engatinhou tb aos 4 meses e andou aos 9 meses até aí a mãe acreditando que ela era bem esperta, mas só. Ela não falou logo mas youtube e desenhos ela assistia desde os 3 meses e cantarolava as canções da galinha, tenho tudo documentado em vídeos. Notamos eu e o pai que antes de 1 ano ela conhecia as letras do nome dela pq na porta do quarto tem o nome e a primeira palavra dela foi Pietra, isso sonoramente falando com todos entendendo com perfeição porque antes ela pronunciava coisas que acreditávamos ser água, comida, mamãe, vovó, etc... Pois bem com 1ano e 5 meses ela conhecia as cores, todo o alfabeto, no mês seguinte começou a pronunciá-los, com 2anos sabia contar de 1 a 100, falar as frutas e suas respectivas árvores, falava palavras soltas em inglês, os meses do ano, a data do aniversário, tocar dó, ré mi, fá, no pianinho e seu vocabulário aumentou muito. Aos 2 anos e 6 meses entrou na escolinha para se socializar, aprendeu o hino nacional em 1 semana todo e corretamente, com 2 anos e 8 meses sabia todas os estados do Brasil e suas respectivas capitais, começou a formar frases em inglês. Aos 3 anos sabe todas as capitais e países do mundo, coletivos, conta em inglẽs até 50, responde oq vc perguntar em inglês a ela, claro que coisas cotidianas como uma criança digamos que nasça em um país que já fale a língua, vê Masha e o Urso em Russo e canta com eles, se está cero não sei mas canta, e a umas 2 semanas veio com a seguinte. Mamãe eu quero aprender pianinho. Então disse vamos fazer balé é legal, então ela respondeu: Pra quem? Eu quero pianinho.
    Peguei ela e levei ao psicologo pois não queria mais ir a escola, disse-me: pintou o A,pintou, o B não o C não o D não o E pintou. não quero a-e-i-o-u já sei.
    Ele na primeira consulta me deu uma avaliação de SD, mas o emocional dela não é desenvolvido de acordo com o intelectual, ela evacua nas calças, só em casa, na rua ou ela não faz ou pede, e o comportamento perto de outras crianças é elétrico, porém ela divide tudo e pede desculpas, mas tb não se alimenta direito, tipo só come o feijão se estiver inteiro, legumes só no liquidificador e frutas só enfeita as mãos. Antes ela comia bem, agora nada. outra é super dramática, digo que vou escrevê-la em uma novela Mexicana. palavras dela: Maẽ estou passando mal, me leva para o hospital agora, aí meu Deus tá tudo cheio de sangue. Detalhe não há nenhum machucado ela apenas bateu o pé na porta, um exemplo. Como ama os livros sabe todas as histórias de cór ela diz quando espeta o dedo: Aí espetei o dedo na roca! E agora? Vou dormir pra sempre.
    Parece tudo lindo, engraçadinho, mas me preocupo pq na escola não consigo mais levá-la ela grita, chora, e quando insisto ela vem tão estressada que dorme das 18h até o dia seguinte as 10h. Moro em uma cidade pequena a 80k do RJ e me encontro em uma situação de estresse pq a escola diz que é besteira que ela só está de malcriação, em fim. Além do psicólogo oq mais vc me aconselharia para o caso dela, me dá uma ajuda pq estou muito perdida nesse assunto. bjs obrigada, amei seu blog. Rosihanna Tidal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rosihanna,

      Diante do seu relato e caracteristicas que você expôs da sua filha sugiro que ela seja encaminhada para uma avaliação neuropsicológica, a ser feita por uma neuropsicóloga, que é uma psicológa com pós graduação e especialização em neuropsicologia juntamente com uma consulta e observação de neuropediara ou psiquiatra infantil para apurarem se sua filha apresenta a Síndrome de Asperger, que é um transtorno do espectro autista em grau leve que pode vir com superdotação e as pessoas que apresentam asperger costumam apresentar as altas habilidades relatadas por você, assim como muita agitação, comportamento agitado, irritação, muita dificuldade em lidar com frustração, emocional difícil, dificuldade em se socializar, alimentação seletiva, vocacbulário avançado para a idade. Muitos psicólogos não têm a especialização e conehcimento sobre os transtornos do desenvolvimento que se confundem com a superdotação ou que com ele podem co-existir. Não estou dizendo que sua filha não possa TAMBÉM ser superdotada e ter um potencial cognitivo superior, que, aliás, só pode ser confirmado após a aplicação dos testes de inteligência do tipo WISC IV ou SON R (se a criança for menor do que 6 anos). Sem a aplicação destes testes não dá para se afirmar que sua filha seja superdotada e a superdotação não traz estas dificuldades que vocÊ nos relatou. Há que se certificar, para que sua filha não se prejudique pela falta de atendimento necessário às dificuldades que ela apresenta. Caso queira indicação de neuropsicólogo ou psiquiatra ou neuropediatra no RJ ou Niterói, me avise.

      Excluir
  28. Claudia, boa tarde! Meu filho tem 6 anos, e desde os 3 / 4 anos não demonstra muito interesse em ir à escola, sempre banaliza as atividades oferecidas e aprende com muita facilidade. Sempre me questiono qual a melhor opção, mas ainda não consegui uma orientação adequada. Não sei se estimular em casa é bom ou ruím, pois temo que isto contribua para um aumento no desinteresse. Mas tenho muita preocupação de que ele seja reprimido : ( .Pesquisando na internet, vi que algumas características são pertinentes à crianças com QI's acima da média. Gostaria de uma orientação de como proceder. Sou do Rio de Janeiro, e ele nunca fez nenhum tipo de avaliação neurológica, nem psicológica. Desde já agradeço sua atenção e te parabenizo pelo seu trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sugiro que procure aí no RJ a neuropsicologa Neuropsicóloga:

      Karin Veronnica (atende em Niteroi e no Jardim Botânico )
      987333310, que fará uma avaliação neuropsicologica e lhe dará todas as orientações necessárias. Venha participar do meu grupo do grupo do face chamado Mãe de Crianças Superdotadas

      Excluir
  29. oi gostaria da sua ajuda meu filho tem 07 anos e aprende muito rápido, porém ele se recusa a ler, quando proponho alguma leitura ele não quer nem olhar para as letras e diz que não sabe ler, a partir dos três anos ele já reconhecia o alfabeto, porem estou com essa dificuldade, queria muito encontrar alguém que me ajudasse pois ele já foi encaminhado para o pisiquiatra, já passou por dois psicólogos, agora estou acompanhando com o neurologista, mas não consigo nada concreto.
    Meu nome é Eliane e ficaria muito feliz se vc pudesse me ajudar


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eliane,

      O ideal é que seu filho seja avaliado por uma neuropsicóloga. Caso deseje indicação de um profissional desta área, me diga em qual cidade você mora. Qual foi o diagnóstico apresentado pelo neurologista e psiquiatra ? Venha participar dos meus grupos do facebook, Asperger e Superdotação e o Mãe de Crianças Superdotadas.

      Excluir
  30. Olá...
    Minha filha tem um ano e 1 e 10 meses e a uns 2 meses descobri que ela estava identificando as letras do alfabeto , hj ela já sabe praticamente todas as letras conta de 1 a 23 , identifica os números de 1 ao 10 e a poucos dias descobri que ela também sabe as formas geométricas;ela adora os vídeos animados e é com eles que ela está aprendendo. Gostaria de saber se isso é normal ou ela tem altas habilidades.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vivi,

      Ela pode tanto ser precoce, como ser estimulada , como ter altas habilidades ou superdotação, quanto ter hiperlexia ou algum transtorno do espectro autista, em que é comum o interesse bem precoce por letras e números. Fique atenta para o fato de se, além dela apresentar esta precocidade por letras e números, ela também não apresenta dificuldades em outras área do desenvolvimento, relacionamento, comportamento. Se houverem dificuldades procure um neuropeditra o quanto antes, pois pode ser um indicativo de TEA (transtorno do espectro autista). Se ela estiver se desenvolvendo bem e só mostrar interesse pelas letras e numeros precocemente, você pode procurar uma avaliação neuropsicológica a partir dos 4 anos.

      Excluir
  31. Bom dia!!!
    Me ajude, por favor!
    Meu filho tem 13 anos de idade, vem tendo problemas na escola, por não se interessar pelas aulas, vem tendo notas muito ruins, não copia tudo, não faz os deveres todos.
    Por outro lado, ele é Escoteiro( e se sai muito bem) na aula particular... faz tudo que precisa em uma hora, como diz o professor, é o suficiente pra ele pegar tudo o que precisa.
    Se relaciona super bem com todos, e bem humorado, faz amizades com facilidades, toca violão, adora desenhar e desenha bem, adora desmontar e montar coisas... é muito inteligente... não essa inteligência de fazer contas enormes de cabeça e coisas desse tipo.
    Então eu nem sabia que existia a tal de altas habilidades, pra mim, quem era super dotado eram essas pessoas que fazem coisas muito além do normal intelectualmente falando.
    Até que comecei a pesquisar a respeito.
    E peço ajuda!!!
    Meu filho está sofrendo muito, e nos também!!!
    Já mudou 5 vezes de escola, e sempre é o mesmo problema, ele não se encaixa.
    Levei ele hoje dia 09/08 num neuropediatra e claro, diagnosticado como TDAH, medicamentos.
    O meu filho não é agitado, é tranquilo e normal como um adolescente de 13 anos, ainda discutiu comigo, disse que ele faz um monte de coisas e gosta, porque eu ponho ele pra fazer!!!
    E não é, pelo contrário, ele que vive cheio de ideias mirabolantes.
    Hoje mesmo... ele desmontou uma arma de brinquedo que ele tinha, colocou um interruptor, fez umas ligações com fio, uma lâmpada e colocou na porta do quarto dele... o interruptor do lado de fora e a lâmpada pra dentro, ligou num despertador pra quando entrar no quarto, ser uma campainha, toca junto o despertador e acende a luz quando aciona o interruptor!
    Não fui eu que mandei ele fazer isso, é o tipo de coisa que ele gosta de fazer!
    Então o diretor da escola vive me ligando, me chamando na escola, perguntando o que vai ser feito, porque assim não tem como continuar... briga com ele... vive chamando a atenção e eu ja não sei mais o que fazer!
    Estou desesperada, vendo o meu filho passando por tudo isso, não sei como ajudá-lo, tenho muito medo do que pode estar passando na cabeça dele.
    Na última escola, ele sofreu muito e inclusive fez um ano de terapia.
    E meu filho não tem problema, a única dificuldade dele, problema dele é na escola.
    Peço que se coloquem no meu lugar e me ajudem de alguma forma.
    Estou inclusive pegando relatório com as pessoas que ele convive, pra levar pra escola, pra eles saberem que a única dificuldade dele é lá.
    A minha vontade é de sumir com o meu filho, a impressão é que vai resolver nosso problema.
    Só quero a tranquilidade, felicidade e qualidade de vida dele!
    Porque do jeito que as coisas estão caminhando, como meu filho vai suportar tudo isso, como vai ser o futuro dele?
    E se realmente ele tem altas habilidades, era pra eu estar feliz e não fazer disso esse tormento que se tornou as nossas vidas, polo simples fato das pessoas não terem o conhecimento?
    Isso é muito triste!
    Me ajude, por favor!!!
    Moro em Conselheiro Lafaiete - M.G

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Família Monteiro,

      A criança ou adulto pode ter altas habilidades / superdotação E também outra condição que afete o seu desenvolvimento, comportamento ou aprendizagem. Isto se chama DUPLA EXCEPCIONALIDADE, que é o tema do meu livro (Superdotação e Dupla Excepcionalidade, Ed. Juruá, 2016). Então, uma coisa nao exclui a outra. Se o seu filho, realmente, tiver altas habilidades ou superdotação, não significa que ele não possa ter TDAH. A recusa em fazer atividades, cópias, registros e lições é bem comum em crianças com TDAH ou a Síndrome de Asperger que podem co-existir com a superdotação. O ideal é que se faça uma avaliação neuropsicológica e com psiquiatra. Se a queixa comportamental persiste em 5 escolas diferentes e estas queixas estão trazendo ao seu filho prejuízos intensos e frequentes é sintoma de algum transtorno do desenvolvimento. Se for do tipo TDAH, pode ter o tipo impulsivo/hiperativo, tipo DESATENTO, ou tipo misto. Pode ser também sindrome de asperger. Tudo isso deve ser investigado por um psiquiatra e também por neuropsicólogo, mediante avaliação. A medicação, quando é o caso de TDAH ou outro transtorno costuma trazer resultados positivos para o aluno e, segundo as pesquisas científicas, é o melhor tratamento para o TDAH. A terapia é bem recomendada e um ano acho pouco.

      Excluir